segunda-feira, 24 de novembro de 2008

o enterro

ora portanto a coisa é de fácil compreensão: o doutor dias loureiro foi queixar-se ao doutor antónio marta vice do BdP que sentia uma dor ou seria um prurido em parte incerta do corpo …

é essa a vantagem competitiva em vectores de desenvolvimento estratégico do doutor dias loureiro … por isso o hóme é conselheiro de estado …
é exactamente por isso que ele também foi contratado pelo BNP para administrar sectores de alta tecnologia, mesmo que seja para países cenário de outros filmes …

e para que não se diga que o culpado foi o 4º assistente do contabilista que lançou na conta de exploração errada o lanche de 4 croquetes, 2 rissóis e uma laranjada fica aqui o testemunho de alguém que não consta tenha estado reunido com o vice do BdP num quarto às escuras e sem testemunhas …

“Março de 2001. A revista "Exame", que na altura dirigia, dizia na capa que o Banco de Portugal tinha passado um cartão amarelo ao BPN. Dias depois recebi um telefonema de Pinto Balsemão. Assunto: Dias Loureiro tinha-lhe telefonado por causa do artigo e, na sequência dessa conversa, queria falar comigo. Acedi prontamente.
A conversa com o ex-ministro foi breve... mas elucidativa: Dias Loureiro estava desagradado com o tratamento dado ao BPN; o assunto tinha criado um problema imagem do banco; não havia qualquer problema com o BPN; Oliveira e Costa estava muito "incomodado" com a matéria de capa (para a qual tinha contribuído, com uma entrevista) e pensava processar a revista (como efectivamente aconteceu).Depois da conversa comuniquei a Pinto Balsemão que não tinha ficado esclarecido com as explicações de Dias Loureiro e que, por mim, a "Exame" mantinha o que tinha escrito. O que aconteceu depois é conhecido...Ao ouvir Dias Loureiro na RTP fiquei espantado. Porque o ex-ministro disse que ficara tão preocupado com o artigo que foi, de "motu propriu", ao Banco Central comunicar que a instituição devia estar atenta. Das duas uma: ou Dias Loureiro soube de algo desagradável entre a conversa comigo e a ida ao Banco de Portugal; ou fez "fanfarronice" nessa conversa para esconder os problemas do BPN. Há uma terceira hipótese... Feia. Mas depois do que vi no assunto BPN já nada me espanta.”

nota: camilo lourenço actualmente no jornal de negócios foi à altura despedido da revista exame do grupo impresa de francisco balsemão, por causa dos artigos que escreveu na época sobre as alegadas irregularidades do BPN ...

1 comentário:

maria_arvore disse...

Estou em crer que D. Colheone vai chamar camilo lourenço para lhe dizer que não pode continuar a ser assim tão imprevisível. ;)